Skip navigation

Monthly Archives: Maio 2016

Enquanto proliferam-se as crises no atual modelo de representação política, diversas iniciativas criam novas táticas de participação, resistência e ocupação. Indo da micropolítica cotidiana à incidência no âmbito institucional, cada uma destas experiências desenvolve-se a partir de diferentes conhecimentos, tecnologias e metodologias. A fim de colocá-las em diálogo e promover uma semana de imersão para o desenvolvimento de práticas e pesquisas compartilhadas, convocamos a tods interessads a enviarem projetos para o encontro de produção colaborativa Contralab:reboot.

Das manifestações de 2013 até o impeachment, o sistema político brasileiro passou do esgotamento ao colapso. Queremos repensar os mecanismos de representação, facilitar a participação pública na tomada de decisões, ampliar o acesso a informações sobre personagens e recursos públicos. Esperamos que as propostas possam ir além do que conseguimos imaginar, portanto, os temas não estão limitados a estes elencados abaixo:

  • Novas formas de mobilização, protesto e ação política;
  • Metodologias e tecnologias dos movimentos secundaristas e OcupaEscola;
  • Metodologias e tecnologias de assembleias populares, associações de moradores organizações de base;
  • Tecnologias sociais e metodologias analógicas e/ou digitais para decisão e ação coletiva;
  • Análises de dados em redes sociais voltadas à ação política;
  • Ferramentas de campanhas e mobilização online;
  • Processamento, organização e difusão de informações levantadas em vazamentos ou operações de investigação;
  • Visualização de dados e monitoramento cidadão do Diário Oficial e gastos públicos;
  • Sistemas eletrônicos para democracia direta, incluindo uso de tecnologia blockchain ;
  • Processamento de linguagem aplicado à análise de dados oficiais;
  • etc

Fonte e mais informações: http://nuvem.tk/wiki/index.php/CONTRALAB:Reboot

Inscreva-se!

Inscrições abertas até o dia 11 de junho, às 23:59. Use o formulário de inscrição: https://nuvem1.typeform.com/to/liG5LI

Fonte: http://midiacoletiva.org/perseguicao-antena-negra-tv-da-argentina/

ANTENA NEGRA TV DISPUTA COM A EMPRESA PROSEGUR E O ESTADO ARGENTINO O DIREITO DE TRANSMITIR

Antena Negra é uma emissora de TV independente e coletiva que ocupa o canal 20 – TDA no espectro argentino e pode ser sintonizada em aparelhos de televisão e pela internet. Esta emissora é um desafio ao monopólio das ideias que reina na Argentina, que vive durante décadas controlada e manipulada por poucos grupos donos de cadeias de comunicação.

Além de ser um canal de difusão, Antena Negra também é um espaço de construção política e social a partir da perspectiva da edu-comunicação. Desempenha grande inspiração para outras emissoras comunitárias porque desenvolveu em parceria com outros coletivos uma capacidade incrível e autônoma de produzir seus próprios transmissores e antenas.

Já no ano passado integrantes da Antena Negra tiveram problemas com a justiça porque operam em um canal, de forma legal e baseado na Lei de Meios da Argentina, que foi cedido em uma negociata excusa e mau explicada com a polícia, para a empresa de segurança privada Prosegur.

O transmissor e demais equipamentos da Antena Negra TV foram lacrados e apreendidos, em um claro intuito de privilegiar uma empresa com lobby governamental e militar, em detrimento de uma emissora que além de comunitária e independente, cumpre um papel crucial na articulação política dos meios de comunicação independentes e sobretudo na articulação da RNMA – Red Nacional de Medios Alternativos.

A empresa de segurança que realiza uma comunicação interna entre carro-forte, viaturas, centrais e demais operativos usa ilegalmente uma banda do espectro que é oficialmente destinada a canais de TV comunitários, garantidos pela lei federal que rege no país, mas que também encontra em Maurício Macri atual presidente, um novo e feroz inimigo.

Nessa semana novamente uma ordem judicial decretava a apreensão dos equipamentos de transmissão, que foi alterada para um prazo de 48 horas, que intima seus integrantes a entregarem os equipamentos para o governo, prazo que já foi cumprido.

Diferente do episódio anterior, dessa vez o governo não atuou com a força policial, mas com uma estratégia jurídica para favorecer a empresa Prosegur, que contém a ameaça de se continuarem transmitindo mesmo posterior a liminar, serão detidos e processados.

Nos solidarizamos com esse veículo independente e importantíssimo para o cenário de mídia livre no nosso continente, e reproduzimos uma parte de sua postagem em redes sociais e da última transmissão antes de apagar o sinal.

Certos de que o compromisso com a mídia popular e inteligência desses compas os manterão ativos e combativos para retomar seu direito de transmitir pelos ares da Argentina e despertar consciência ‘desde abajo’

Ultima Transmissão 12 de maio 

Nota da Antena Negra TV em redes sociais:


Dejar de estar al aire implica apagar nuestra herramienta comunicacional, es decir nuestro medio de lucha, censurando las voces del campo popular y profundizando aún más la desigualdad entre los medios comunitarios y los comerciales, que trabajan en conjunto con empresas telefónicas, afianzando el cerco mediático que favorece el discurso hegemónico.

A partir de esto tomamos, en conjunto con la RNMA, la decisión de no entregar a ninguna persona a la cárcel, y por lo tanto salir momentáneamente del aire. La entrega ser hará en las próximas horas en el edificio de ENACOM Perú 103 y allí constatará que se entregan en forma y funcionando para luego labrar una acta. Los equipos quedarán entonces nuevamente retenidos por el Estado y la empresa Prosegur utilizando la frecuencia desde su ilegalidad.

Responsabilizamos por esta situación:

– A la empresa multinacional Prosegur, que inició esta causa penal e impulsó una persecución juridica y policial, siendo ellos los que usan ilegítimamente el espectro;

– Al juez Martínez De Giorgi, que llevó adelante el primer secuestro de los equipos en 2015 y hoy continúa respondiendo a las presiones de dicha empresa sacandonos del aire e intentando un segundo allanamiento en el canal.

– Al ENACOM, por no llevar adelante las políticas correspondientes a su función, para que este conflicto se resuelva en favor de la comunicación popular.

A pesar de la extensa reunión, no se pudo conseguir que ENACOM actuara para que se detuviera esta nueva instancia de retención de los equipos ordenada por el juez di Giorgi. El organismo adquirió el compromiso de pedir juntamente con Antena Negra TV y por escrito una audiencia ante el juzgado, para finalizar la causa penal y llevarla al plano administrativo-político, del que nunca debió haber salido.

Exigimos que se retire de inmedato la causa penal y se resuelva el conflicto por vías administrativas, dejando así de tener el peligro inminente de una persona presa por hacer comunicación comunitaria, alternativa y popular. Queremos la resolución de esta disputa, por lo tanto también exigimos al ENACOM que encuentre una figura legal que nos permita poder seguir transmitiendo y dejar de estar en un estado de vulnerabilidad permanente y en peligro de allanamiento constante.

Desde Antena Negra TV y la RNMA tomamos esta decisión aunque calificamos de injusta la resolución de Juez. Debería ser PROSEGUR quien apague sus equipos y no nosotros pero ante la eventualidad de que una persona, ya imputada, pueda perder su libertad por desobediencia, hemos resuelto apagar el equipo para esta nueva retención.

No estamos eligiendo entre dos variantes, nos obligan a hacerlo. Entre la cárcel o el aire, elegimos hacer comunicación comunitaria, alternativa y popular. Y volveremos a hacerlo, definitivamente.

¡Basta de seguir beneficiando a las empresas privadas por sobre el campo popular!

¡Basta de hacer de la comunicación un negocio y una mercancía!

¡ANTENA NEGRA TV NO SE APAGA!

Nesta quinta-feira, dia 12, às 19h30, o coletivo mar1sc0tron dará uma
oficina sobre encriptação de emails. Esse conhecimento e prática é parte
da cada vez mais necessária Cultura de Segurança. Falaremos sobre a
historia do programa PGP, a abertura do código para o OpenPGP,
encriptação assimétrica, seus usos para email, chat e arquivos, e por
fim, a criação prática de chaves pública e privada. Levem seus computadores.

 

Data: 12/05/2016, às 19h30

Local: Tarrafa HackerClub – UFSC

Oficina OpenPGP - 12-05-2016

mariscotron_translucido

Estamos participando da CryptoRave e Seminário Internacional de Privacidade e Vigilância!

Se liguem na programação dos eventos:

CryptoRave 2016:
https://we.riseup.net/cryptorave/programacaocr2016#

Seminário Internacional de Privacidade e Vigilância
https://gpopai.usp.br/?page_id=445

Em breve publicaremos novidades!